Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BE Castanheira de Pera

Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto - Castanheira de Pera

BE Castanheira de Pera

Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto - Castanheira de Pera

26
Abr17

“Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?” - resultados nacionais

Equipa BE

No passado dia 17 de março, decorreu o concurso “Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?”, uma iniciativa inédita da VISÃO Júnior e da Rede de Bibliotecas Escolares, com o apoio do Plano Nacional de Leitura. Os resultados obtidos no nosso Agrupamento podem ser consultados aqui.

Hoje revelamos os resultados a nível nacional:

miudos-a-votos-A3_Resultados Finais.jpg

Obrigado pela vossa participação!

 

 

23
Abr17

Dia Mundial do Livro

Equipa BE

O Dia Mundial do Livro é comemorado, desde 1996 e por decisão da UNESCO, a 23 de Abril. Este ano associa-se aos 150 Anos da Abolição da Pena de Morte em Portugal.

Em 2017, e porque se comemoram os 150 Anos da Abolição da Pena de Morte em Portugal, a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas quis relacionar o Dia Mundial do Livro com esta efeméride, incitando à leitura e celebrando o livro como um hino à vida .

O cartaz, um cartoon com conceção e design da ilustradora e cartoonista Cristina Sampaio, pretende mostrar simbolicamente que o livro e a leitura são fatores fundamentais para o crescimento económico, político, social e cultural, e que se encontram na base da cidadania plena.

 

Cartaz-Dia-Mundial-do-Livro_web

(fonte: ver aqui ) 

04
Abr17

Vamos Crescer com o Livro!

Equipa BE

Ler para crescer[10]

"Na minha primeira infância, gostava de construir casas com pequenas peças e toda a espécie de brinquedos. Usava muitas vezes um livro ilustrado a fazer de telhado. Nos meus sonhos, entrava na casa, deitava-me na cama feita com uma caixa de fósforos e olhava para cima, para as nuvens ou para as estrelas do céu. A escolha dependia da ilustração que preferia na altura.

Por intuição, segui as regras de vida das crianças que procuram criar um ambiente seguro e confortável à sua volta. E o livro infantil ajudou-me muito a atingir este objetivo.

Depois cresci, aprendi a ler, e o livro, na minha imaginação, começou a assemelhar-se mais a uma borboleta, ou mesmo a um pássaro, do que ao

telhado de uma casa. As páginas do livro pareciam asas que batiam. Era como se o livro, deitado no peitoril, quisesse sair pela janela aberta em direção ao desconhecido. Segurava-o com as mãos e começava a lê-lo, e o livro ia ficando cada vez mais calmo. Então eu próprio voava para outras terras e novos mundos, alargando o espaço da minha imaginação.

Que alegria ter na mão um novo livro! De início, nunca sabemos sobre o que é que ele fala. Resistimos à tentação de saltar para a última página. E como o livro cheira bem! É impossível distribuirmos o seu cheiro pelos vários elementos que o compõem: tinta, cola... não, é impossível. Existe um cheiro particular no livro, um cheiro único e excitante. As folhas encontram-se coladas, como se o livro não tivesse ainda acordado. E ele só acorda quando começamos a lê-lo.

Continuamos a crescer, e o mundo à nossa volta torna-se mais complicado. Enfrentamos questões a que nem os adultos sabem responder. No entanto, é importante partilhar dúvidas e segredos com alguém. E aí o livro volta a ajudar- nos. Muitos de nós terão um dia pensado: este livro fala sobre mim! E a personagem favorita parece ser igual a nós. Tem problemas semelhantes, e resolve-os com dignidade. E há outra personagem que não é igual a ti, mas tu gostarias de seguir o seu exemplo, de ser tão corajoso e desembaraçado quanto ela.

Quando há rapazes e raparigas que dizem “Não gosto de ler!”, isso faz-me rir. Não acredito neles. Comem gelados, jogam jogos e veem filmes interessantes. Dito de outro modo, gostam de se divertir! É que a leitura não serve apenas para desenvolver sentimentos e personalidades, ela é, acima de tudo, um

prazer.

É sobretudo com essa missão que os autores de livros para a infância escrevem os seus livros."

Sergey Makhotin

(tradução de Ma Carlos Loureiro a partir da versão inglesa de Yana Shvedova)

 

 

03
Abr17

Dia Internacional do Livro Infantil

Equipa BE

Ontem comemorou-se o Dia Internacional do Livro Infantil.

Surgido na década de 1950, em honra do escritor Hans Christian Andersen, o Dia Internacional do Livro Infantil foi criado como forma de reconhecer o trabalho dos autores na área do livro infantil.

Este ano cumprem-se 50 anos da celebração do Dia Internacional do Livro Infantil, uma iniciativa do Conselho Internacional sobre Literatura para os Jovens (IBBY), para a promoção do livro e da leitura, que coincide com o dia de aniversário do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen.

Nasceu em Odessa a 02 de abril de 1805 e morreu em Copenhaga, a 04 de agosto de 1875. É considerado um dos mais importantes escritores de livros para a infância e juventude, com adaptações de histórias da tradição oral e criação de textos inéditos, que incorporam temas universais e intemporais.

 

eeojhpcaicplkegm

 Em Portugal, o cartaz alusivo à data é assinado pelo ilustrador João Fazenda, distinguido em 2016 com o Prémio Nacional de Ilustração.

 

"A leitura não serve apenas para desenvolver sentimentos e personalidades, ela é, acima de tudo, um prazer", afirma o escritor russo Sergey Makhotin.