Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BE Castanheira de Pera

Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto - Castanheira de Pera

BE Castanheira de Pera

Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto - Castanheira de Pera

31
Out15

Lição TED-Ed: "Eu sou o Batman"

Equipa BE

O que é que voa pela noite, silenciosamente, guardando e protegendo do mal o nosso mundo? O Batman? Talvez... um morcego. Tal como o Batman, os morcegos são muito mal compreendidos e vilipendiados. Amy Wray condena o mito de que os morcegos são vilões perigosos e explica porque é que, pelo contrário, eles merecem uma receção de heróis — e a nossa proteção.

 

Uma lição de Amy Wray, com animação da Equipa TED-Ed.

 

 

 

31
Out15

Coma como uma formiga, recomenda um Chef de cozinha

Equipa BE

Coma como uma formiga,

recomenda um Chef de cozinha

 

Rene_Redzepi_472732a

 

René Redzepi utiliza formigas como mensagem simbólica que sugere o consumo de alimentos naturais

 

O Chef de cozinha René Redzepi, cujos menus fantasiosos e criativos incluem frequentemente formigas, publicou recentemente na rede social Twitter uma foto que pode enjoar os estômagos mais sensíveis.

Numa placa encontram-se três pedaços de margarina, manteiga com baixos níveis de gordura e manteiga natural, respetivamente, vendo-se as formigas à volta deste último pedaço. Na legenda, o Chef escreve: "Identifico-me com as formigas."

 

 

CQo5USSUEAAHHzh

 


A foto reflete o estilo que René escolheu para cozinhar e se alimentar. Um estilo que privilegia os alimentos naturais e integrais, em oposição aos aditivos artificiais. A combinação das formigas com a manteiga natural é uma forma simbólica de chamar à atenção para os benefícios da Mãe Natureza. Até as formigas detetam aquilo que é mais natural.

 

A margarina tornou-se popular durante a Segunda Guerra Mundial, por ser usada nas rações. A partir daí, gerou-se uma campanha que defendia que a margarina era a “escolha mais saudável”.

No entanto, já se sabe há muito que as gorduras artificiais, presentes em alimentos como a margarina, prejudicam a saúde. E os alertas vão surgindo.

 

"Nos anos de 1950 e 60, dissemos erradamente aos americanos que a manteiga e os ovos prejudicavam a sua saúde, convencendo-os a consumirem margarina, que é basicamente gordura trans. Já aprendemos que a gordura saturada é relativamente neutra – as gorduras trans é que são más para a saúde" -  revelou à CNN o Dr. Steven Nissen, reponsável de medicina cardiovascular na Cleveland Clinic.

 
Em junho, a FDA ( órgão governamental norte-americano que regula os alimentos) afirmou que as gorduras artificiais tinham de desaparecer da dieta norte-americana, considerando-as como “inseguras” para o consumo humano.
 
Por exemplo, há mais de uma década que a McDonald`s parou de fritar as batatas em gorduras trans

Já são muitas as personalidades que se uniram para apoiar a opinião de René, incluíndo o Chef e também apresentador do programa Bizarre Foods, Andrew Zimmern. 


Apesar do fenómeno só ter chegado agora às redes sociais, René já está a pensar em voos mais altos. O restaurante Noma (duas estrelas do guia Michellin), que abriu em 2004 na cidade de Copenhaga, Dinamarca, vai fechar. E será deslocado para um novo local em Sydney, Austrália. Sabe-se também que ao lado do novo restaurante, o Chef vai criar uma moderna quinta urbana, onde pretende cultivar a maioria dos seus ingredientes.

 

In TVI 24

 

30
Out15

Tem piada...

Equipa BE

Vivemos atualmente num mundo onde as alergias são mais que muitas... E tu, tens cuidado com o que comes?

 

Tradução da piada:

 

Miúdos à porta a pedir doces no Halloween:

 

"- Minha Senhora, tem doces sem glúten?" "- Sou intolerante à lactose..." "- Tem chocolate vegan?" "- Não posso comer frutos secos"  "- Tenho fobia ao caramelo!"  "- Tenho alergia ao nougat"  "-Tem doces de género neutro?" *

 

10374457_10154753874270693_3529812187791347988_n

 

NB: * Doces de género neutro - com embalagens neutras, que não sejam nem de menina, nem de menino.

30
Out15

Hora do Conto: "Que grande abóbora, Mimi!"

Equipa BE

Hora do Conto: "Que grande abóbora, Mimi!"

 

  

IMG_2660

 A Professora Teresa Magéssi a apresentar a história.

 

 

No dia 29 de outubro, a coordenadora da Biblioteca Escolar Teresa Magéssi deslocou-se à Escola Básica do 1.ºCiclo para uma Hora do Conto com a turma do 1.º ano, da professora titular Conceição Soares. 

 

"Que grande abóbora, Mimi!", da autoria de Valerie Thomas e Korky Paul (Editora Gradiva Júnior), foi o livro escolhido para (des)encantar os meninos que atentamente foram seguindo a história, interessados e divertidos, participando animadamente, conforme se ia desvelando o mistério da abóbora gigante...

 

IMG_2661

 

"A bruxa Mimi adora abóbora, cozinhada de todas as maneiras. Por isso, decide descobrir uma forma de ter sempre abóbora à mão, para preparar os seus pratos preferidos (e do Rogério). Mas, como sempre, as coisas não correm como desejado e a Mimi vê-se a braços com uma abóbora gigante… Como irá ela resolver mais esta embrulhada?"

 

 

IMG_2663

 

 

Os alunos foram propondo soluções...

 

IMG_2665

 

No final, os alunos ficaram cativados para a leitura de mais aventuras da Bruxa Mimi...

 

  

Na véspera do "Halloween",

Um conto se foi contar

À turma o 1.º ano,

Mas não para assustar!


"Que grande abóbora, Mimi!",

a  história que encantou

e a alunos proporcionou

divertimento e criatividade.

 

Ora vejam só as obras de arte!

 

 

Desenhos de abóboras voadoras - abóboras mesmo, ou abóboras-helicóptero?

 

IMG_2667

 

 

IMG_2670

 

 

... E uma bruxa Mimi muito bonita!

 

IMG_2680

 

 

IMG_2679

 

 

NB: Poema e fotos da autoria da professora Elisabete Antunes.

  

30
Out15

Jack O'Lantern (Jack da Lanterna)

Equipa BE

 Jack O'Lantern (Jack da Lanterna)

 

jack-o-lantern-pumpkin-in-halloween-night-vector-graphic-31427

 

 

O Halloween, ou Dia das Bruxas, tem como base celebrações dos antigos povos que, desde os Celtas e as suas festividades pagãs, procuravam afastar os maus espíritos. O nome surge no entanto com a Igreja Católica como  “All Hallow’s Eve”, Véspera de Todos os Santos, quando se homenageiam e honram todos os santos. 

As lendas e as histórias são muitas e variadas e contemplam aspetos tenebrosos e assustadores como o regresso dos espíritos dos mortos à procura de corpos vivos (huuuuuu.... Medo!) mas salientam também tempos de renovação e de recomeço com referências  ao fim do verão,  ao final da terceira e última colheita do ano, ao início do armazenamento de provisões para o inverno, o início do período de retorno dos rebanhos do pasto e até da renovação das leis.

Conta uma das lendas que o Diabo veio buscar a alma de Jack, um alcoólico, num dia 31 de Outubro. Jack implorou por mais um copito a que o Diabo acedeu, mas sem dinheiro para este seu último trago, pediu ao Diabo que se transformasse numa moeda e o Diabo assim o fez. Assim que viu a moeda sobre a mesa, Jack guardou-a na sua carteira, que tinha um fecho em forma de cruz. Desesperado, o Diabo implorou para sair mas  Jack propôs-lhe um trato:


- Eu liberto-te,  mas tens que me deixar ficar na Terra por mais um ano inteiro.


Sem opção, o Diabo concordou.

Feliz com a oportunidade, Jack resolveu mudar a sua forma de agir. Deixou de beber, começou a tratar bem a família, a ir à igreja e até a fazer caridade.

No ano seguinte, na noite de 31 de Outubro, Jack estava a caminho de casa quando o Diabo apareceu. Jack, esperto como sempre, convenceu o Diabo a apanhar uma maçã de uma árvore. O diabo aceitou e quando subiu no primeiro galho, Jack pegou num canivete e desenhou uma cruz no tronco. O Diabo, aflito, acabou por aceder a desaparecer para sempre, em troca de poder descer da árvore. 

Um ano mais tarde, Jack morre, e tenta entrar no céu. A sua entrada é negada. Sem alternativa, vai para o inferno. Chegando lá, encontra o Diabo, que  desconfiado e sentindo-se ainda humilhado, não o deixa entrar, e atira-lhe uma brasa para que Jack possa iluminar o seu caminho pelo limbo. Jack põe a brasa dentro de um nabo para que dure mais tempo e afasta-se deambulando. A sua alma penada passa a ser conhecida como Jack O'Lantern (Jack da Lanterna).

 

378-stingy-jack-294x300

 Jack com a sua lanterna de nabo.



Os nabos na Irlanda, origem desta lenda, eram originalmente usados como "lanternas do Jack", mas nos EUA, onde as abóboras eram muito mais abundantes do que os nabos, as lanternas começaram a ser feitas com abóboras iluminadas com uma brasa por dentro. 

 

1568240657_42e1214e48_o-e1382564307774

 Nabos Jack O'Lantern.



Segundo a lenda, se estivermos atentos, conseguimos ver, na noite de 31 de Outubro, uma pequena luz fraca, da lanterna do Jack, procurando uma saída do limbo em que está preso.

 

Jack O' Lantern pumpkins at Keene Pumpkin Festival, Keene, NH

 Abóboras Jack O'Lantern.

 

 

Abóboras iluminadas, Bruxas e Vassouras são alguns dos símbolos principais deste dia que está associado a temas assustadores que envolvem fantasmas, morcegos e Diabos, mas também Doçuras ou Travessuras (Treats or Tricks).

 

In Oficina de Psicologia

NB: Texto editado pela Equipa BE.

 

 

30
Out15

Sessão de Cinema: "Casa Assombrada"

Equipa BE

Nesta sexta-feira, em véspera de Halloween, a tua Biblioteca Escolar passa o filme de animação 3D "Casa Assombrada" (2006), realizado por Gil Kenan.

 

DJ Walters é um miúdo de 12 anos que acredita que há algo de estranho na casa do velho Nebbercracker, situada no outro lado da rua. Tudo o que passa perto da casa simplesmente desaparece, incluindo triciclos, brinquedos e animais de estimação. Na véspera do Dia das Bruxas, DJ e o seu amigo Chowder deixam que a bola de basquebol com que estão a jogar caia no terreno de Nebbercracker, desaparecendo misteriosamente. Logo a seguir, a casa tenta devorar Jenny, uma amiga de ambos, que é salva do ataque.

 

Eles tentam avisar toda a gente do perigo que é a casa, mas ninguém acredita neles. O trio então recorre a Skull, um cozinheiro de pizas preguiçoso que ganhou fama no passado por ter conseguido jogar jogos de vídeo quatro dias seguidos... Será que ele tem uma solução?

 

 

 

30
Out15

Voluntários da Leitura: "Rosa minha irmã Rosa"

Equipa BE

"Rosa minha irmã Rosa"

 

IMG_2085

 

No âmbito dos Voluntários da Leitura, a Dra. Ana Barjona, da Biblioteca Municipal, veio à nossa Biblioteca Escolar apresentar o livro "Rosa minha irmã Rosa" e a biografia da sua autora, a escritora Alice Vieira, aos alunos das duas turmas do 6.ºAno.

 

O livro "Rosa minha irmã Rosa" fala-nos da Mariana, filha única na família durante dez anos inteirinhos... e depois, nasce a sua irmã Rosa. Agora vai ter de partilhar tudo com a irmã: o seu quarto, o tempo dos pais lhe dedicavam, os afetos da família - incluindo a Avó Elisa que desconfia do progresso, e a Tia Magda, que tem um dente de ouro, uma fala que mete medo e só gosta de estrelícias e antúrios. Mas pelo menos a recordação da Avó Lídia e a amizade da Rita ela não quer dividir com mais ninguém. Será que a Rosa vai continuar a ser "uma intrusa"?

 

IMG_2083

 

 

A Dra. Ana Barjona envolveu os alunos numa conversa animada sobre os afetos e como se sentiram aqueles que têm irmãos mais novos, quando estes nasceram.

 

Pág. 1/11