Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BE Castanheira de Pera

Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto - Castanheira de Pera

BE Castanheira de Pera

Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto - Castanheira de Pera

31
Out14

A História do Halloween

Equipa BE

A História do Halloween

 

Stampa

 

 

O Halloween é uma das celebrações mais antigas e tem a sua origem nos povos celtas - ou talvez ainda antes deles, mas isso não é facto comprovado. Com o decorrer dos séculos, esta festa sofreu influências culturais romanas e cristãs.

 

Os celtas veneravam a Natureza e tinham muitos deuses, mas o deus Sol era o seu preferido: era ele que proporcionava abundância nas colheitas e alimentava o povo, e dirigia as suas vidas segundo o ritmo das estações do ano. Os celtas tinham duas festas importantes durante o ano, as quais coincidiam com os dois ciclos principais da natureza: um por volta do 1.° de Maio, que marcava o início da "estação do sol"; e o outro a 1 de Novembro, que marcava o fim dessa estação e o princípio da "estação sombria e fria". Os celtas celebravam o Ano Novo exatamente no dia 1 de Novembro e chamavam Samhain a esta festa, que começava ainda no dia 31 de Outubro, a véspera do Ano Novo, e durava três dias.

 

Assim, a 31 de Outubro, quando as colheitas já se tinham terminado e os cereais estavam armazenados para o Inverno, os celtas apagavam os fogueiras dos seus lares, vestiam roupas feitas com peles de animais e iam para a floresta ao encontro dos druidas, os sacerdotes celtas. Os druidas estavam reunidos no cimo do monte da floresta de carvalhos - a árvore sagrada dos celtas - e aí tinham acendido novas fogueiras e sacrificavam produtos da colheita e também animais. Enquanto os druidas dançavam à volta das fogueiras, a estação do sol chegava ao fim e começava a estação sombria e fria. Na manhã seguinte, já dia 1 de Novembro, os druidas davam uma acha incandescente a cada família, que a levava de volta para o lar e com ela acendia novas fogueiras para cozinhar os alimentos. Estas fogueiras contribuíam também para aquecer as habitações e para afastar os maus espíritos.

 

Quando os romanos invadiram o resto da Europa levaram consigo muitos dos seus usos e costumes e, assim, a festa céltica do Samhain foi assimilada à festa romana em honra de Pomona, a deusa romana dos frutos e dos jardins, igualmente celebrada por volta do 1.° de Novembro.

 

Com o cristianismo vieram novas práticas religiosas, e no século nono a Igreja Católica fez do dia 1 de Novembro uma festa católica em honra de todos os santos - chamou-se Dia de Todos os Santos. Anos mais tarde, a Igreja considerou o dia 2 de Novembro igualmente um dia de feriado religioso e chamou-lhe Dia dos Defuntos, em homenagem a todas as pessoas já falecidas em cada família. Este dia era celebrado com fogueiras, cortejos e pessoas mascaradas de santos, anjos ou demónios.

 

Contudo, a religião católica não fez esquecer completamente as antigas tradições e, assim, apesar das festas do Samhain céltico e da Pomona romana terem sido assimiladas pelo Dia de Todos os Santos, os seus rituais pagãos continuaram a perpetuar-se, sobretudo na Irlanda. Nos anos 1840 houve uma grande emigração de irlandeses para os Estados-Unidos, e eles levaram consigo as suas tradições e rituais. Anos mais tarde, essas mesmas tradições e rituais voltaram à Europa, mas o nome do dia 31 de Outubro tinha mudado: "véspera do Dia de Todos os Santos" dizia-se em irlandês All Hallow even ou Hallowe'en, o que acabou por dar Halloween.

 

Esta é pois a origem do nome da festa a que hoje em dia chamamos Halloween, com toda a sua magia, espíritos maléficos, fantasmas, esqueletos e crânios do Samhain céltico, da Pomona romana e da festa católica do Dia de Todos os Santos.

 

In DulceRodrigues.info

NB: Texto editado pela Equipa BE.

31
Out14

Sessão de Cinema: "Casei-me com uma feiticeira"

Equipa BE

Nesta sexta-feira de Halloween, por circunstâncias alheias à Biblioteca Escolar, a programação da sessão de cinema foi alterada, substituindo-se a proposta de visionamento de um episódio da série da RTP1 "A minha sogra é uma bruxa", de Henrique Oliveira, pelo visionamento de alguns episódios da série "Casei-me com uma feiticeira", de Sol Saks, uma série televisiva norte-americana emitida entre 1964 e 1972, de enorme sucesso, com os atores Elizabeth Montgomery, Dick York, Dick Sargent, Agnes Moorehead, David White e Erin Murphy.

 

Samantha e James seriam um típico casal norte-americano se não houvesse um detalhe inusitado: Samantha tem o poder de fazer magia com uma simples torcidinha do nariz.

 

O marido James, um publicitário atrapalhado, também tem características incomuns, apesar de não ter nenhum poder excecional. Quando descobre os dons da jovem esposa prefere ignorá-los, sem jamais contar com eles na solução dos seus problemas. Ele continua a trabalhar muito, a levar descomposturas do chefe, sem pedir ajuda à sua bruxinha particular.

 

Já Samantha, fiel às suas origens, não resiste a usar todos os seus poderes para facilitar a vida do casal. Mas o amor fala mais alto e para não desagradar ao marido, a feiticeira tenta contrariar a sua natureza de bruxa. O resultado desse conflito permanente é uma sucessão de situações complicadas, surpreendentes e muito divertidas.

 

Fica aqui a sugestão de alguns episódios...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

31
Out14

"A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça"

Equipa BE

Nesta sexta-feira de Halloween, a tua Biblioteca Escolar propõe-te ainda a "Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça", um conto de Washington Irving (1783-1859), adaptado pelos estúdios do Walt Disney... um mimo de susto!

 

A história passa-se por volta de 1790 em Tarrytown, Nova Iorque, num lugar chamado Sleepy Hollow. Ichabod Crane, um magro, esguio e extremamente supersticioso professor do 1.ºCiclo de Connecticut, compete com Abraham "Brom Bones" Van Brunt pela mão da jovem de dezoito anos, Katrina Van Tassel, filha única do rico agricultor Baltus Van Tassel. Quando Crane deixa uma festa na casa dos Van Tassel numa noite de outono, é perseguido pelo "Cavaleiro sem Cabeça", um suposto fantasma de um soldado hesseno (germânico) cuja cabeça fora arrancada por uma bala de canhão durante uma "batalha sem nome" da Revolução Americana. O fantasma "cavalga até o local da batalha numa procura noturna pela sua cabeça". Com o susto, Ichabod desaparece misteriosamente da cidade, deixando Katrina casar-se com Brom Bones. Quem seria o Cavaleiro Sem Cabeça?... Consegues adivinhar?

 

Clica na imagem para veres o filme, dobrado em português do Brasil:

 

legend of the Sleepy Hollow

 

30
Out14

"O conto dos três irmãos"

Equipa BE

"O conto dos três irmãos", curta-metragem animada incluída no filme "Harry Potter e os talismãs da Morte - Parte 1", criada pelos estúdios Framestore, realizada por Ben Hibon e supervisada por Dale Newton (efeitos especiais).

 

Este é um conto de fadas contado aos pequenos feiticeiros, na imaginação de J. K. Rowling, autora do universo mágico de Harry Potter. O conto teria sido escrito por Beedle, o Bardo (séc. XV), e publicado numa coletânea chamada Os Contos de Beedle, o Bardo. Enquanto a maioria dos feiticeiros viam apenas as virtudes morais desta história (humildade, sabedoria), alguns acreditavam que se referia aos talismãs da morte, três artefactos mágicos poderosíssimos cobiçados por muitas gerações de feiticeiros... e que são um dos fios condutores das aventuras de Harry Potter.

 

 

 

30
Out14

Notícias Insólitas XXIII

Equipa BE

Dormir com o Harry Potter em Londres

Hóspedes podem ter a experiência de Hogwarts no Georgian House Hotel

 

877x658

 

 O hotel Georgian House, uma propriedade com 163 anos, perto da Estação Victoria, em Londres, tem agora quartos que reproduzem os famosos espaços em Hogwarts. Os quartos são decorados ao estilo «feiticeiro», com garrafas de poções, caldeirões e livros de magia.

 

877x658 (1)

 

 
Além da experiência autêntica de Hogwarts, os hóspedes recebem um pacote completo do Harry Potter, tendo direito a um passeio a pé pelo centro de Londres, onde visitam alguns locais dos filmes, e uma viagem para a Warner Bros Studio para a «The Making of Harry Potter Tour».
 
 

877x658 (4)

 


«Ouvi dizer que o estúdio do Harry Potter foi a atração mais popular em Londres, e o facto de o autocarro sair da estação de Victoria significava que o hotel estava no local perfeito para atrair os turistas que tinham vindo para ver o estúdio», disse Serena von der Heyde, sócia da The Georgian House, ao jornal «The Independent».
 
 

877x658 (3)

 

«O Georgian House Hotel coloca grande ênfase em acolher famílias e quis criar algo divertido para os jovens visitantes. Quando os convidados chegam, acendemos velas e tocamos música enquanto entram nos quartos de feiticeiros — é uma ótima maneira de dar às famílias uma estadia única», contou Serena.
 
 

877x658 (2)

 

O quarto de feiticeiro, para duas pessoas, custa 249 libras por noite e um quarto com dois bilhetes para o Warner Bros Studio custa 363 libras.

O Warner Bros Studio abriu recentemente uma nova secção, dedicada às «Artes das Trevas», em que o ponto central é a restaurada Mansão Malfoy, que se tornou a sede de Voldemort em «Harry Potter e as Relíquias da Morte».

Têm sido dias bons para os fãs de Harry Potter. Recentemente foi anunciado o lançamento de uma nova história a tempo do Halloween e agora um hotel de Londres proporciona-lhes uma experiência que fará com que sintam que fazem parte desse mundo mágico.
 
In TVI24
NB: Texto editado pela Equipa BE.

Pág. 1/10