Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BE Castanheira de Pera

Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto - Castanheira de Pera

BE Castanheira de Pera

Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto - Castanheira de Pera

17
Fev11

Concurso Nacional de Leitura 2010/2011 - 2ª Fase - Fase distrital

Equipa BE

 

 

 

CNL – Concurso Nacional de Leitura 2010/2011
2ª Fase – Fase distrital

Local de realização das provas: Alcobaça
Prova escrita: 28 de Março (Segunda-feira), pelas 10:30h, na Biblioteca Municipal.
Provas orais (para os apurados na prova escrita): 2 de Abril (Sábado), pelas 16:00h, no Cine-Teatro.

Pelas 21:00h, terá lugar a Gala de Encerramento do CNL (2ª Fase), com prémios para todos os participantes e muitas surpresas!!!


Obras de leitura obrigatória:

João Aguiar, Inês de Portugal (Edições ASA ou D. Quixote)
Michael Ende, A História Interminável (Editorial Presença)


Boas leituras!

14
Fev11

Dia dos namorados - Sabias que...

Equipa BE

 

 

S. Valentim era um padre que, no reinado do Imperador romano, Cláudio, no ano 270, que assegurou a protecção de todos os enamorados que escolhessem esta data para dar provas do seu amor. Assim, no dia 13 de Fevereiro, o rapaz escolhia aquela que iria ser a sua “Valentina” e qual seria o seu cavaleiro servidor ao longo de todo o ano. Se, no dia 14 ainda não tivesse escolhido a sua bela, a primeira rapariga que encontrasse no seu caminho, ao sair de sua casa, era a feliz eleita.

Os apaixonados tentavam, e ainda hoje tentam, a sua sorte através do envio de mensagens, de cartas ilustradas e de presentes. Com o correr dos tempos esta troca de lembranças e de postais ilustrados tem vindo a ser alargada.

Já não se efectua só entre namorados mas, também entre amigos.

 

Muitas são as tradições associadas ao dia de São Valentim, variando de país para país:

- Nas Ilhas Britânicas na altura dos Celtas, as crianças costumavam vestir-se de adultos e cantavam de porta em porta, celebrando o amor.
- No actual País de Gales, os apaixonados trocavam entre si prendas como colheres de madeira com corações gravados, chaves e fechaduras, o que significava «Só tu tens a chave do meu coração».
- Em França e na actual Inglaterra, já na Idade Média, , no dia 14 de Fevereiro, os jovens sorteavam os nomes dos seus pares e estes eram cosidos nas mangas durante uma semana. Se alguém trouxesse um coração costurado na camisola, isso significava que essa pessoa estava apaixonada.

 

Ao longo dos tempos, as tradições de São Valentim foram adquirindo um grau de complexidade cada vez maior. A cada ano que passava, foram-se criando novas tradições, lendas e brincadeiras, como é o caso das mensagens apaixonadas.


A tradicional troca de cartões, cartas e bilhetes apaixonados no dia 14 de Fevereiro teve origem na altura da própria lenda de São Valentim, quando este teria deixado um bilhete à filha do seu carcereiro. No entanto, não há qualquer facto que comprove esta lenda. Porém, é certo que, no século XV, Charles, o jovem duque de Orleães, terá sido o primeiro a utilizar cartões de São Valentim. Isto porque, enquanto esteve aprisionado na Tower of London, após a batalha de Agincourt em 1945, terá enviado, por altura do São Valentim, vários poemas e bilhetes de amor à sua mulher que se encontrava em França.

 

 

Durante o século XVII sabe-se que era costume os enamorados escreverem poemas originais, ou não, em pequenos cartões que enviavam às pessoas por quem estavam apaixonados. Mas, foi a partir de 1840, na Inglaterra vitoriana, que as mensagens de São Valentim passaram a ser uniformizadas. Os cartões passaram a ser enfeitados com fitas de tecido e papel especial e continham escritos que ainda hoje nos são familiares, como é o caso de «would you be my Valentine».

 

Nos dias de hoje, é entre os mais novos que estas mensagens de São Valentim são mais populares, sendo uma forma de expressarem as suas paixões.