BE Castanheira de Pera

pesquisar

 
Quarta-feira, 21 / 09 / 16

21 de setembro - Dia Internacional da Paz

dia-da-paz

 Dia Internacional da Paz - 21 de Setembro

A 21 de Setembro assinala-se o Dia Internacional da Paz. Este dia foi estabelecido pela Organização das Nações Unidas, em 1981, numa altura em que os efeitos da Segunda Guerra Mundial (uma grande guerra, que aconteceu entre 1939 e 1945, e que envolveu cerca de 60 países e provocou uma gigante onda de mortes e destruição por todo o mundo) ainda se sentiam muito na vida das pessoas e nas relações entre os países.

O Dia Internacional da Paz foi proclamado como um dia de cessar-fogo, isto é, um dia para baixar as armas e dizer não à guerra. É um dia para lembrar o mundo de que precisamos de viver sem conflitos nem violência.

Em Portugal, vão haver muitas celebrações espalhadas pelo país durante o dia (com música, poesia ou debates), mas tu próprio podes comemorar da maneira que quiseres: seja a pendurar uma bandeira branca (símbolo de paz) na tua janela, a participar num evento de solidariedade ou até mesmo a fazer as pazes com aquele amigo com quem te chateaste.

E porque é que continua a ser tão importante comemorar o Dia Internacional da Paz, perguntas tu? Nem precisas de procurar a resposta, por que ela entra-te pela casa adentro diariamente, pela televisão, pela rádio e pelos jornais.

Bombardeamentos, atentados, pessoas que têm de abandonar as suas casas e tornar-se refugiados para fugir da guerra. Não são coisas de que ouves falar todos os dias? O mundo continua a não estar em paz.

Atualmente, cerca de 1,5 mil milhões de pessoas em todo o mundo vivem numa situação de conflito. E cabe a todos nós fazer alguma coisa para que deixe de ser assim.

E não penses que as crianças e os jovens não têm poder para mudar nada - têm, e muito! Se todos os miúdos tiverem consciência da necessidade de trabalhar pela paz, daqui a 20 anos o mundo vai ser governado por pessoas tolerantes e pacíficas, que conseguem resolver os seus problemas sem recorrer à violência!

Visão Júnior, http://visao.sapo.pt/visaojunior/2016-09-21-Hoje-e-Dia-Internacional-da-Paz

 

 

 
publicado por Equipa BE às 22:17
Quinta-feira, 15 / 09 / 16

Proibição de fumar junto a escolas ....

O Conselho de Ministros aprovou a proposta de proibição de fumar em parques infantis e junto a hospitais e escolas. Depois da introdução de imagens nos maços de tabaco, medida que entrou em vigor no início deste ano, a nova modificação à legislação do tabaco prevê a proibição de fumar em parques infantis e junto a portas e janelas de estabelecimentos de ensino e de saúde. 

Aprovado no Conselho de Ministros dedicado à saúde que decorreu nesta quinta-feira em Coimbra, o projecto de proposta de lei pretende “proteger os cidadãos da exposição involuntária ao fumo do tabaco”. A proposta de alteração passa igualmente por incluir “no conceito de fumar” os “novos produtos do tabaco sem combustão”, ou seja, os cigarros electrónicos.

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, explicou que, apesar de considerar que as questões de atitudes e comportamentos não se resolvem muitas vezes com legislação, esta interdição, “mais do que um carácter punitivo, pode ter um carácter de mensagem de sinalização e de alerta”. Assim, enfatizou, a proposta deve ser vista como “um sinal, um incentivo a uma mudança de comportamento”.

“Ninguém aceita como positivo que exista uma concentração de pessoas a fumar junto de unidades de saúde frequentadas por doentes ou em escolas frequentadas por jovens”, sublinhou o governante aos jornalistas no final da reunião ministerial.

Ler mais >>>

 

tags: ,
publicado por Equipa BE às 22:52
Quinta-feira, 15 / 09 / 16

Dia Internacional da Alabetização 2016 - 8 de setembro

Uma mensagem para o Dia Internacional da Alfabetização 2016

Dia Internacional da Alfabetização 2016

 

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do 50º aniversário do Dia Internacional da Alfabetização


"Por 50 anos, o Dia Internacional da Alfabetização tem celebrado a alfabetização como uma forma de empoderamento para mulheres e homens, e para a sociedade como um todo.

Temos visto grandes progressos desde 1966, ano em que a UNESCO proclamou o Dia Internacional da Alfabetização. A população mundial aumentou de forma substancial, mas a quantidade de jovens adultos sem habilidades de leitura e escrita foi reduzida em 25% entre 1990 e 2015. Têm havido movimentos que visam a melhorar as oportunidades de alfabetização das mulheres – 43 países mostraram grandes melhorias em relação à paridade de gênero. O movimento mundial de Educação para Todos encabeçou muitas mudanças positivas.

Porém, isso não é o bastante. Hoje, existem ainda 758 milhões de adultos que não são capazes de ler ou escrever uma frase simples. Dois terços deles são mulheres. Na periferia da aldeia global, essas pessoas não recebem nenhum dos benefícios da globalização e sofrem todos os seus custos. Essas mulheres e esses homens são mais vulneráveis a problemas de saúde, à exploração e a abusos de direitos humanos. Eles também são mais propensos ao desemprego e ao recebimento de salários mais baixos. Incapazes de ler ou escrever, eles não conseguem realizar seu potencial pleno, e comunidades inteiras permanecem presas em círculos viciosos de pobreza, os quais fornecem as condições para a violência e os conflitos. (...)"

Continuar a ler >>>

 

publicado por Equipa BE às 22:39
Quinta-feira, 15 / 09 / 16

Net com Consciência - Centro Internet Segura

 

Este é o nono episódio da Websérie "Net com Consciência" desenvolvida pelo Centro Internet Segura.

Joana e João estão no café a partilhar as histórias de família sobre a desinformação relativa à utilização da Internet. Felizmente, na ementa do café, constavam fortes doses de consciência.

Se os teus familiares e amigos têm dúvidas sobre quaisquer temáticas ligadas à utilização da Internet, coloca-os em contacto com a Linha Ajuda através do número 808 91 90 90 ou do email linhaajuda@internetsegura.pt.

Sabe mais sobre o Centro Internet Segura em www.internetsegura.pt

publicado por Equipa BE às 22:32
Quinta-feira, 15 / 09 / 16

Consumer Classroom

Consumer_Classroom

Consumer Classroom é um espaço cibernáutico dirigido essencialmente a Professores e com o objetivo de possibilitar a estes profissionais o intercâmbio de conteúdos pedagógicos, na área da Educação do Consumidor, e que poderá explorar e partilhar com os seus alunos. Aqui encontrará uma extensa biblioteca de recursos pedagógicos, provenientes de toda a UE, bem como ferramentas interativas e colaborativas que poderá utilizar e personalizar.

publicado por Equipa BE às 22:21
Sábado, 06 / 08 / 16

Os livros que Marcelo e outras personalidades vão ler este verão

Os livros que Marcelo e outras personalidades vão ler este verão

Presidente da República e outras personalidades das mais variadas áreas revelam à VISÃO os seus planos de leituras para as próximas semanas

 

As páginas querem-se frescas, lidas com 40 graus à sombra? Há uma estação ideal para pôr a leitura em dia? Tão certo como o ócio estival, os livros fazem parte da bagagem das férias de (quase) toda a gente. Quisemos espreitar os volumes que estarão nas toalhas de praia do Presidente da República e outras figuras públicas das mais variadas áreas

 

 

 

Marcelo Rebelo de Sousa

Presidente da República, 67 anos

 

“Vou ler, de Maria de Fátima Bonifácio, António Barreto, Política e Pensamento (Dom Quixote), uma biografia muito inteligente de um homem excecional. 
E Francisco, o Papa que Põe a Igreja a Mexer (Temas e Debates), de Frei Bento Domingues, um muito lúcido retrato-análise de uma personalidade central deste tempo e deste mundo. Também Pepetela, com Se o Passado Não Tivesse Asas (D. Quixote), uma mistura subtil entre revisita ao passado e partilha de sentimentos num texto de ficção do melhor do autor, como quase sempre, acerca da sua Angola. Por fim, lerei os quatro volumes iniciados por A Amiga Genial (Relógio d’Água), de Elena Ferrante, uma leitura sobre o que é ser mulher, numa saga entusiasmante, que enche um verão e sobra para o resto do ano. De uma escritora italiana discreta por opção, tocante por vocação.”

Ana Vidigal

Artista Plástica, 55 anos

“Tenho de vos dizer que isto é um amor antigo. Quando ela morreu eu tinha 17 anos mas só aos meus 23 me foi apresentada. Nunca nos separámos. Laços de Família, Felicidade Clandestina, Onde Estiveste de Noite, mesa de cabeceira, chão de atelier, quartos de hotel, Primeiros Contos, Legião Estrangeira, A Via Crucis do Corpo, Visão do Esplendor, noites de insónia, travessias aéreas, desespero criativo, ou amores perdidos e, depois, Últimos Contos. Tenho de vos dizer que isto é um amor antigo: Todos os Contos (Relógio d'Água), de Clarice Lispector. Porque: ‘Às vezes sentava-me na rede, balançando-me com o livro aberto no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo. Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com o seu amante.’ Desde sempre”

 

 

Joana Carneiro

Maestrina, 39 anos

“Para este verão gostaria de propor a leitura de The Leonard Bernstein Letters, editado por Nigel Simeone. Trata-se de um livro que revela aspetos muito interessantes da relação do maestro Leonard Bernstein com a sua família, mentores e colegas compositores, como Messiaen e Elliott Carter, que nos ajudam – aos que o admiram, como eu – a melhor compreender o seu percurso e personalidade.”

Maria de Sousa

Cientista, 76 anos

“Vou ler dois livros sobre Shostakovich, The Noise of Time, de Julian Barnes [O Ruído do Tempo, na edição portuguesa da Quetzal] e Testimony (Limelight Editions), as memórias de Shostakovich relatadas a Solomon Volkov. Também lerei o livro de Rui Vieira Nery, Os Sons da República (INCM). Porquê? Porque me interesso por perceber como a criatividade sobrevive à adversidade social e política. Como a obra de Shostakovich sobreviveu à adversidade de Estaline. Perguntava-se porque é que o Poder tinha virado a atenção para a música e contra si. Nasceu em 1906. Lopes Graça nasceu no mesmo ano, em Tomar. Preso em 1931, ano em que concluiu o Curso Superior de Piano, era “porventura o mais promissor da sua geração” segundo Nery. Foi preso por ser “notoriamente próximo de círculos intelectuais afetos ao Partido Comunista”. Sem a aprovação dos poderes que dominavam os seus países, a sua música persistiria.

Viajo ainda acompanhada pel'A Terceira Miséria (Relógio d'Água), o poema de Hélia Correia – “Para quê, perguntou ele, para que servem os poetas em tempo de indigência?”.

 

 

 

Luís Filipe Castro Mendes

Ministro da Cultura, 
66 anos

“Nos cada vez mais curtos dias das férias de verão, acontece que a nossa leitura pode enfim ser contínua, pode acompanhar todo o curso dos dias, desde a manhã radiosa até ao entardecer alongado. O verão, glória breve dos nossos dias!

Sempre tive o projeto de reler nos verões os grandes romances. Tive um verão Stendhal, um verão Tolstoi... Neste verão levo todo o Malraux na [editora] Pléiade. Amores de adolescência...

Também o ensaio do meu amigo Eduardo Paz Ferreira Por uma Sociedade Decente [Marcador] será uma leitura muito atenta deste verão.

E sempre os poetas: Daniel Jonas – grande livro, o Bisonte (Assírio & Alvim)! E esse estranhamente esquecido Tiago Veiga [Dom Quixote], extraordinário e original poeta, que a generosidade de Mário Cláudio tem ajudado a resgatar do esquecimento, e tantos outros – a poesia portuguesa está muito bem de saúde!”.

 

 

Carlos Vaz Marques

Jornalista e editor, 52 anos

 

“Os textos que neste verão vou ler com mais prazer, emoção e entusiasmo ainda não estão escritos. Estarão neste momento a ser trabalhados, palavra a palavra, pelos autores que desafiei a escreverem-nos para mim. Serei o seu primeiro leitor mas prometo partilhá-los, no outono, com todos os que quiserem lê-los. Há neste momento cerca de uma dezena de escritores a trabalharem a meu pedido e espero a qualquer momento começar a receber esses originais que darão corpo ao próximo número da [revista] Granta. O tema não podia ser (tragicamente) mais atual: Medo. Enquanto esses textos não chegam, espero terminar a extraordinária saga íntima que tornou Elena Ferrante famosa em todo o mundo que lê. Estou no segundo volume da tetralogia iniciada com A Amiga Genial (Relógio d’Água) e sei já que terei saudades de Lila e Elena quando virar a última página da História da Menina Perdida. Quero ler também as entrevistas a Manuel António Pina (as dos outros, porque duas são minhas) recolhidas em Dito em Voz Alta (Documenta) – entrevistas sobre literatura, isto é, sobre tudo. E tenho a intenção de dedicar algum do meu tempo livre a um livro de estudo que acabei de encomendar: How to Reacess Your Chess [de Jeremy Silman]. Porque, parafraseando o genial Garry Kasparov, a vida imita o xadrez.”

 

 

 

Eduardo Lourenço

Pensador e Ensaísta, 93 anos

 

“Não sou daquelas pessoas para quem o verão era uma estação particular, em que se punham vários livros para reciclar. Nunca programei nada, incluindo leituras de verão. Agora, tenho vários livros em cima da mesa, a que me dedicarei. Um deles é de um filósofo francês, Alain Badiou, Le Séminaire. Nietzsche: l’antiphilosophie 1 (1992-1993) (editora Fayard), cuja temática diz respeito à filosofia moderna. Será uma leitura que me ocupará muito tempo, se quiser ter umas férias estudiosas. Recebi também e lerei Do Pântano Não Se Sai a Nado – Meias Verdades nos Consulados de Salazar e Caetano, no Contexto da Revolução de Abril e na Progressiva Consolidação Democrática (Gradiva), de Joaquim Silva Pinto, antigo ministro de Marcelo Caetano: são uma espécie de crónicas, do tempo em que ele foi poder, ou próximo do poder, textos de prosa clara que fazem novas luzes sobre o clima vivido nesses últimos anos... Se quisermos saber o que nos aconteceu há 50 anos, já temos distância suficiente para ouvir os relatos de quem o viveu por dentro. Além de livros, que são habitualmente lidos em francês, faço também uma leitura compulsiva de jornais e revistas que tratam da crise da Europa.”

 

 

 

José Tolentino Mendonça

Padre, teólogo e poeta, 
50 anos

 

“Aproveito normalmente o verão 
para grandes empreitadas de leitura. 
E chegou a vez do Michel Houellebecq, um dos autores europeus que me suscita maior curiosidade e, por estranho que possa parecer, mesmo do ponto de vista teológico. É fácil dizer que o universo e a escrita de Houellebecq são de um cinismo programado. No entanto, poucos escritores expõem como ele o vazio de um mundo sem Deus. Ele não faz apenas um diagnóstico social e político do Ocidente: debaixo do tapete descobre-nos também a alma. Durante os últimos meses fui reunindo os livros dele (dos quais já li Extensão do Domínio da Luta e Lanzarote) e juntei ainda duas coletâneas de ensaios sobre a sua obra. Fica assim traçado o mapa do território. Agora só me resta atirar-me a esse mar.”

 

 

 

Tiago Rodrigues

Diretor do Teatro Nacional D. Maria II, encenador, 
ator e dramaturgo, 39 anos

 

“Vou acabar Guerra e Paz (Presença), de Tolstoi, na tradução de Nina e Filipe Guerra, e vou ainda ler Assim Começa o Mal (Alfaguara) de Javier Marías, A Barba Ensopada de Sangue (Quetzal) de Daniel Galera e Uma Menina Está Perdida no Seu Século à Procura do Pai (Porto Editora) de Gonçalo M. Tavares. O verão é época de romances. Durante o resto do ano, o teatro 
e leituras de trabalho relacionadas com teatro são o que me ocupa mais. 
A poesia é para as manhãs livres.

Guerra e Paz é porque tenho estado a mergulhar no Tolstoi e talvez se tenha tornado, clandestinamente, leitura de trabalho. Por agora é ainda, e apenas, prazer. Javier Marías é um dos escritores vivos que prefiro. Tenho deixado o romance Assim Começa o Mal na cabeceira mas ele está impaciente e, durante a noite, sussurra-me ao ouvido, o que me provoca insónias em espanhol. A Barba Ensopada de Sangue foi-me aconselhado por muitos amigos brasileiros e portugueses, dizendo que era “a minha cara”. Gosto de descobrir o que os amigos me aconselham. E Gonçalo M. Tavares? Tenho muito interesse no trabalho dele mas a razão da escolha é, também, porque vamos apresentar uma versão teatral deste romance no D. Maria II, em outubro, pelo grupo de teatro da CRINABEL, que faz 30 anos este ano. Também anda comigo a tradução de Graça Moura da Divina Comédia de Dante pelo mesmo motivo: um espetáculo que O Bando está a preparar para o TNDM II em 2017.”

 

 

Tiago Brandão Rodrigues

Ministro da Educação, 
39 anos

 

“Para boas leituras de verão sugiro Relato de um Náufrago (Dom Quixote), de Gabriel Garcia Márquez, uma narrativa contada com uma clareza cristalina, que nos faz viver uma história de podridão, que até parece fictícia, passada na solidão do Mar das Caraíbas. E De Profundis, Valsa Lenta (Leya), de José Cardoso Pires: a esperança da vida a partir do hiato que a morde, um prodigioso exercício de memória que conta como o corpo, sendo o lugar que acolhe a mente, jamais a poderá conter.”

 

 

Carminho

Fadista, 31 anos

 

“História de Quem Vai e de Quem Fica, de Elena Ferrante [Relógio d'Água]. É o terceiro volume da quadrilogia desta escritora que mantém o seu anonimato e nos prende numa narrativa alucinante sobre a amizade, cumplicidade e contrariedades de duas amigas que, agora já mais velhas, tentam fugir do bairro onde cresceram e iniciaram a sua amizade. Apesar dessa ânsia da fuga acabam por estar sempre ligadas a esse bairro e a uma sociedade conservadora que muitas vezes as impede de conquistar os seus mais profundos desejos. Com uma carga do universo feminino muito forte, a escrita de Elena Ferrante é desconcertante e por vezes violenta mas realmente profunda e vibrante, abordando questões fundamentais e polémicas do universo das mulheres. A escritora que ganhou um plano de grande prestígio e reconhecimento na sua área não revelou ainda a sua verdadeira identidade, mas os universos e temáticas por si criados de nada precisam do decifrar desse enigma.”

 

Depoimentos recolhidos por Sílvia Souto Cunha, Inês Rapazote, Gabriela Lourenço, Sara Sá e Pedro Dias Almeida

link: ´http://visao.sapo.pt/actualidade/cultura/2016-07-30-Os-livros-que-Marcelo-e-outras-personalidades-vao-ler-este-verao

Revista Visão

Cultura

30.07.2016 às 12h10

 

publicado por Equipa BE às 18:10
Segunda-feira, 01 / 08 / 16

Sophia de Mello Breyner Andresen

 

 

 

publicado por Equipa BE às 11:01
Segunda-feira, 01 / 08 / 16

Grandes Livros: "Navegações", de Sophia de Mello Breyner Andresen

 "Navegações", de Sophia de Mello Breyner Andresen

 

 

resize-500x344_navegacao

 

  

O décimo segundo e último episódio da Série "Grandes Livros", da RTP2 é "Navegações", de Sophia de Mello Breyner Andresen, autora em destaque na BE este mês. A realização deste documentário é de João Osório, com guião de Alexandre Borges, coordenação de conteúdos de Nuno Estêvão, narração de Diogo Infante. Série televisiva produzida pela Companhia das Ideias, em 2009. 

 

 

 

 

publicado por Equipa BE às 09:48
Segunda-feira, 25 / 07 / 16

Instituto do Mar e da Atmosfera avisa: Ìndice UV - Risco muito elevado com o sol

 

Índice UV

Instituto do Mar e da Atmosfera avisa: Índice UV - Risco muito elevado com o sol durante estes dias.

 

Usa protetor solar de proteção máxima, aplicando creme de duas em duas horas, bebe muita água e resguarda-te do sol e do calor entre as 10h30 min. e as 17h00. 

 

 

publicado por Equipa BE às 14:06
Segunda-feira, 25 / 07 / 16

"Joni (Lagostim)", D.A.M.A.

D.A.M.A. - "Joni (Lagostim):

 

 

 

 

publicado por Equipa BE às 14:00
Sábado, 23 / 07 / 16

Seis estratégias para tornar as manhãs com as crianças mais rápidas

Seis estratégias para tornar as manhãs
com as crianças mais rápidas

 

 

crianca-pequeno-almoco-cereais

 

 

As manhãs começam quase sempre devagar e se envolverem crianças, então mais lentas se podem tornar. Entre levantar, lavar, vestir, tomar o pequeno-almoço e preparar as mochilas, casacos e botas para sair, não são raras as vezes que sai de casa a correr e atrasado(a), verdade? Aplique estas estratégias para tornar as rotinas matinais lá de casa mais rápidas… e deixe de chegar atrasado(a) à escola e ao trabalho.

 

  • Acordar suave. Sabe certamente se a sua criança é uma dorminhoca ou se salta da cama mal avista alguns raios de sol, por isso, acorde-a da forma que ela mais aprecia. Acender a luz repentinamente e puxar os cobertores para trás pode não ser a melhor forma de acordar uma criança, pelo contrário, pode incitar uma birra e atrasar ainda mais a rotina matinal. Levante-se 5 minutos mais cedo e abra a persiana do quarto da criança para ela poder despertar lentamente com a luz natural; se ela adora o seu despertador programem-no em conjunto na noite anterior e atribua-lhe a tarefa de o desligar de manhã; acorde-a com beijinhos e abraços ou coloque a sua música preferida a tocar baixinho. Veja o que funciona melhor!

 

  • Planeamento prévio. Existem muitas coisas que podem ser feitas na noite anterior, para evitar atrasos na manhã seguinte. Deixe a mesa posta para o pequeno-almoço, com tudo o que for preciso (tigelas, copos, canecas, pratos, talheres, açúcar, caixas de cereais); escolha a roupa que a criança vai vestir de véspera, deixando tudo junto da sua cama; prepare mochilas e outros sacos que são necessários levar de manhã e coloque tudo à beira da porta de entrada, juntamente com os sapatos e casacos. 

 

  • Rotina matinal. Para que os preparativos matinais corram da melhor forma possível e dentro do tempo previsto, é importante manter uma rotina matinal: se é costume a criança levantar-se, vestir-se antes de tomar o pequeno-almoço e só depois lavar os dentes ou vice-versa, mantenha sempre o mesmo sistema. Desta forma, a própria criança saberá exatamente o que tem de fazer e não precisa de si a correr atrás dela.

 

  • Jogo do temporizador. As crianças adoram jogos e desafios, por isso, se o seu filho demora uma eternidade a arranjar-se e a tomar o pequeno-almoço de manhã, programe um temporizador (pode ser o da cozinha, por exemplo) e desafie-o a estar pronto antes do tempo terminar.

 

  • Televisão desligada. De manhã, há sempre desenhos animados na televisão, o que a torna um íman para as crianças e um dos grandes culpados dos atrasos matinais. Evite ligar a televisão de manhã enquanto a criança se está a vestir e a tomar o pequeno-almoço… se tudo correr conforme o previsto, deixe que a criança veja 5 minutos de televisão enquanto você acaba de se arranjar. Este é ainda um bom incentivo para a criança fazer tudo o que tiver de fazer de manhã, sem birras e sem atrasos.

 

  • Espírito de equipa. Saírem de casa a horas e bem-dispostos é a melhor forma de começar mais um dia, por isso, façam por isso enquanto família e sempre com o espírito de equipa presente. Se tudo correu bem, a caminho da escola congratule as crianças por terem conseguido sair de casa a horas e com tudo pronto – diga-lhes que a vossa família é uma excelente equipa. Se, pelo contrário, saíram a correr e atrasados, não deite as culpas para a pequenada, diga-lhes apenas que “amanhã vai correr melhor”.

 

In Pequenada: Miúdos a crescer, Pais a aprender

NB: Texto editado pela Equipa BE.

 

publicado por Equipa BE às 09:12
Sexta-feira, 22 / 07 / 16

"Je te pardonne", Maître Gims (c/ Sia)

Maître Gims (c/ Sia) - "Je te pardonne":

 

 

 

publicado por Equipa BE às 21:41
Sexta-feira, 22 / 07 / 16

Tem piada: Ler é uma aventura...

 

tumblr_mlkuyld7op1qmggloo1_1280

 

publicado por Equipa BE às 20:58
Terça-feira, 12 / 07 / 16

O menino que consolou o inconsolável adepto francês

 O menino que consolou o inconsolável adepto francês

 

 

 

 

Ao mesmo tempo que nas ruas de Paris milhares de portugueses festejavam a conquista do campeonato da Europa, outros tantos franceses estavam desolados com o resultado. E entre momentos de tensão entre adeptos e críticas à seleção portuguesa por parte dos franceses, há um momento que está a correr o mundo: aquele em que uma criança se aproximou de um adepto francês que chorava desconsolado e o confortou. Um jovem adepto vestido com uma camisola da seleção nacional (poderá ser português ou luso-descendente) e que entre a multidão dá uma lição de fairplay. No final, os dois abraçam-se.

 

Ver no Público (vídeo mais completo). 

 

 

publicado por Equipa BE às 13:42
Domingo, 10 / 07 / 16

Seleção Nacional vence Campeonato Europeu

Parabéns aos jogadores da Seleção Nacional! Somos Campeões da Europa!

 

13627103_1180840631968781_5650618657653903869_n

 

A jogar no Stade de France, em plena capital gaulesa, não se agourava um final feliz para Portugal, que após um início fatídico perdia a sua estrela. Porém, os lusos resistiram e reagiram ao seu fado, tendo conseguido apresentar, apesar das circunstâncias, um futebol reativo e solidário, provando que há mais equipa para lá de CR7. O capitão, já fora das quatro linhas, assumiu a função de treinador adjunto no banco, onde esteve incansável a apoiar os colegas.

 

Após prolongamento, foi o golo de Éder, aos 109 minutos que nos consegue o primeiro título da Seleção Nacional de Portugal em grandes competições, 12 anos depois da derrota em Lisboa, no jogo contra a Grécia, no Campeonato Europeu de 2004.

 

In portuguese.people.cn

 

publicado por Equipa BE às 23:50
Sábado, 09 / 07 / 16

Alice Vieira ganha prémio no Brasil

Alice Vieira ganha prémio no Brasil

 

800

 A escritora Alice Vieira.

 

 

O livro infanto-juvenil de Alice Vieira, 'Meia hora para mudar a minha vida', recebeu um prémio na edição brasileira.

 

Entre os livros destinados ao leitor jovem editados em 2015 no Brasil estava 'Meia hora para mudar a minha vida' da escritora portuguesa Alice Vieira. Ontem, foi considerado o "Melhor da literatura em língua portuguesa" e recebeu o Prémio Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil - Henriqueta Lisboa.

 

356

 A edição brasileira da editora Peirópolis.

 

 

Segundo a editora Peirópolis, o livro "está a encantar os leitores e a ganhar o merecido reconhecimento de quem trabalha pela formação de leitores".

 

Alice Vieira é autora de inúmeros livros para o público infanto-juvenil, bem como na narrativa para adultos e detentora de vários prémios literários.

 

500_9789722121057_meia_hora_para_mudar_a_minha_vida

 A edição portuguesa da editora Caminho.

publicado por Equipa BE às 22:05
Quinta-feira, 07 / 07 / 16

Ler...

0006_LER_E_DAR_ASAS_A_IMAGINACAO_COR_WEB

 

tags:
publicado por Equipa BE às 12:52
Quinta-feira, 07 / 07 / 16

Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar 2015/2016

Plano Anual de Atividades da Biblioteca Escolar 2015/2016:

 

 

 

publicado por Equipa BE às 12:22
Domingo, 03 / 07 / 16

NASA divulga imagens inéditas da aurora boreal de Júpiter

NASA divulga imagens inéditas da aurora boreal de Júpiter

 

800

 

 

Imagens foram captadas pelo telescópio "Hubble". Auroras de Júpiter são muito maiores do que as dos pólos do planeta Terra e centenas de vezes mais energéticas

 

O Telescópio Espacial Hubble captou imagens inéditas da aurora boreal de Júpiter. A agência espacial norte-americana deverá utilizar os registos na criação de vídeos, que demonstrem o movimento das gigantes auroras boreais do planeta.

 

De acordo com a NASA, as auroras boreais formam-se devido à entrada de partículas, com elevada carga de energia, na atmosfera de um planeta, junto aos pólos, e colidem com átomos de gás.

 

In TVI24.iol.pt

 

publicado por Equipa BE às 12:00
Sábado, 02 / 07 / 16

Trate os seus filhos com cuidado, porque são feitos de sonhos

Trate os seus filhos com cuidado, porque são feitos de sonhos

 

8111287e27fbe55cd70119c67f527302

Ilustr. de Jane Heinrichs

 

 

A infância tem o seu próprio ritmo, a sua própria maneira de sentir, ver e pensar. Poucas pretensões podem ser tão erradas como tentar substituí-la pela forma como nos sentimos, vemos ou pensamos, porque as crianças nunca serão cópias dos seus pais. As crianças são filhas do mundo e são feitas de sonhos, esperanças e ilusões que se acumulam nas suas mentes livres e privilegiadas.

 

Há alguns meses saiu uma notícia que nos desconcerta e nos convida a refletir. No Reino Unido, muitas famílias preparam as suas crianças de 5 anos para que aos 6 possam fazer um teste, que lhes permite ter acesso às melhores escolas. Um suposto “futuro promissor” pode causar a perda da infância.


De que adianta uma criança saber os nomes das luas de Saturno, se não sabem como lidar com a sua tristeza ou raiva? Eduquemos crianças sábias nas emoções, crianças cheias de sonhos, e não de medos.

 

niños-con-cazamariposas-atrapando-la-luna

 

 

Hoje em dia, muitos pais continuam com a ideia de “acelerar” as habilidades de seus filhos, de estimulá-los cognitivamente, colocá-los para dormir ao som de Mozart enquanto ainda estão no útero. Pode ser que essa necessidade de criar filhos aptos para o mundo esteja a educar filhos aptos apenas para si mesmos. Criaturas que com apenas 5 ou 6 anos sofrem o "stress" de um adulto.

 

As crianças são feitas de sonhos e devem ser tratadas com cuidado. Se lhes dermos obrigações de adultos enquanto ainda são apenas crianças, arrancamos-lhes as asas, fazendo-as perderem a sua infância.

 

ewheeler_shipkite_crop

 

Respeitar o tempo, o afeto e os sonhos

A nossa obrigação mais importante é dar às crianças um “raio de luz”, para depois seguirmos o nosso caminho. – Maria Montessori

 

A curiosidade é a maior motivação do cérebro de uma criança, por conseguinte, é conveniente que os pais e educadores sejam facilitadores de aprendizagem, e não agentes de pressão. Vejamos agora abordagens interessantes sobre a  parentalidade que respeita os ciclos naturais da criança e suas necessidades.

 

fbda2361f28bf0e7a9c763f7ae627535

 

Pais sem pressa – Slow Parenting

 

O “Slow Parenting” (pais sem pressa) é um verdadeiro reflexo dessa corrente social e filosófica que nos convida a desacelerar, a sermos mais conscientes do que nos rodeia. Portanto, no que se refere à criança, promovemos um modelo mais simplificado, de paciência, com respeito aos ritmos da criança em cada fase de desenvolvimento.

Os eixos básicos que definem o Slow Parenting serão:

  • A necessidade básica de uma criança é brincar e descobrir o mundo;
  • Nós não somos “amigos” de nossos filhos, somos suas mães e pais. O nosso dever é amá-los, orientá-los, ser o seu exemplo e facilitar a maturidade sem pressão;
  • Lembre-se sempre de que “menos é mais”. Que a criatividade é a arma dos filhos, um lápis, papel e um campo têm mais poder do que um telefone ou um computador;
  • Partilhe tempo com os seus filhos em espaços tranquilos.

 

Parentalidade respeitadora / consciente

 

Embora o mais conhecido desta abordagem seja o uso de reforço positivo sobre a punição, este estilo educativo inclui muitas outras dimensões que valem a pena conhecer.

  • Devemos educar sem gritar.
  • O uso de recompensas nem sempre é apropriado: corremos o risco de nossos filhos se acostumarem a esperar sempre recompensas, sem entenderem os benefícios intrínsecos do esforço, realização pessoal.
  • Dizer “não” e estabelecer limites não vai gerar nenhum trauma, é necessário.
    O forte uso da comunicação, escuta e paciência. Uma criança que se sente cuidada e valorizada é alguém que se sente livre para manter os sonhos da infância e moldá-los até a idade adulta.
  • Respeitemos a sua infância, respeitemos essa etapa que oferece raízes às suas esperanças e asas às suas expectativas.



Ler mais: http://www.psicologiasdobrasil.com.br/trate-os-seus-filhos-com-cuidado-porque-sao-feitos-de-sonhos/#ixzz4DGFRZxZL

 

NB: Texto editado pela Equipa BE

 

publicado por Equipa BE às 15:16
Sábado, 02 / 07 / 16

"Incomplete", Rodrigo Leão (c/ Scott Matthew)

Rodrigo Leão (c/ Scott Matthew):

 

 

 

 

publicado por Equipa BE às 00:33
Sexta-feira, 01 / 07 / 16

Jorge de Sena (1919 - 1978)

Jorge de Sena (1919 - 1978)

 

JorgedeSena

 

Jorge Cândido Alves Rodrigues Telles Grilo Raposo de Abreu de Sena GCSE (Lisboa, 2 de Novembro de 1919 —Santa Barbara, Califórnia, 4 de Junho de 1978) foi poeta, crítico, ensaísta, ficcionista, dramaturgo, tradutor e professor universitário português.

 

Filho único de Augusto Raposo de Sena, natural de Ponta Delgada e comandante da marinha mercante, e de Maria da Luz Telles Grilo de Sena, natural da Covilhã e dona-de-casa. Ambas as famílias eram da alta burguesia, a paterna de suposta linhagem aristocrática de militares e altos funcionários, e a materna de comerciantes ricos do Porto. Segundo relata no seu conto Homenagem ao Papagaio Verde, teve uma infância recolhida, solitária e infeliz, o que fez com se tornasse introspectivo, observador e imaginativo.

 

Fez os estudos secundários no Liceu Camões, onde foi aluno de Rómulo de Carvalho. Era um jovem que lia avidamente, tocava piano e escrevia poemas. Na Faculdade de Ciências de Lisboa, fez os exames preparatórios com as notas mais elevadas.

 

JS_cadete

 Escola Naval, 1937: cadete Jorge de Sena.

 

 

Sena nutria a ideia algo romântica de se tornar oficial da marinha, seguindo as pisadas do pai. Em 1938, aos 17 anos, entrou para a Escola Naval como 1.º do seu curso. A 2 de outubro de 1937, iniciou a sua viagem de instrução a bordo do navio-escola Sagres. Visitou os portos de S. Vicente, Santos, Lobito, Luanda, S. Tomé e Dakar, chegando a Lisboa no final de Fevereiro de 1938. O contacto com a imensidão do oceano, a azáfama da vida a bordo e o movimento e mudança constantes agradaram ao jovem Sena, mas nem tudo correu bem, pois se era brilhante, intelectualmente, não mostrava a aptidão física exigida.

 

jorge-de-sena

 Jorge de Sena

 

 

Apesar da sua inclinação natural para a literatura, Sena frequenta, em Setembro de 1942, o primeiro ciclo do Curso de Oficiais Milicianos, o qual abandona, enfrentando graves problemas de saúde. Depois de um ano letivo em Lisboa, regressa, em 1943, apoiado financeiramente por Ruy Cinatti e José Blanc de Portugal, à Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (que iniciara em 1940) para frequentar o curso de Engenharia Civil, concluindo-o em 1944.

 

O curso pouco o entusiasmou, mas durante todo esse tempo escreveu bastantes poemas, artigos, ensaios e cartas. Desde os 16 anos que escrevia e em 1940, sob o pseudónimo de Teles de Abreu, publicou os seus primeiros poemas na revista Cadernos de Poesia, dirigida por Cinatti, Blanc de Portugal e Tomás Kim. Em 1942, publica o seu primeiro livro de poemas, Perseguição, que não impressiona muito o seu amigo e crítico João Gaspar Simões e Adolfo Casais Monteiro considera-o um livro revelador mas difícil.

 

Em 1947, Sena inicia a sua carreira de engenheiro, que durou 14 anos. Trabalhou como engenheiro civil na Câmara Municipal de Lisboa, na Direcção-Geral dos Serviços de Urbanização e na Junta Autónoma das Estradas (JAE), onde permanecerá até ao seu exílio para o Brasil em 1959.

 

phpThumb_generated_thumbnailjpg

 Maria Mécia de Freitas Lopes, fotografada por Fernando Lemos.

 

 

Em 1940, no Porto, Jorge de Sena conhece e torna-se amigo de Maria Mécia de Freitas Lopes (irmã do crítico e historiador literário Óscar Lopes), começando a namorar em 1944 e casando-se em 1949. Jorge de Sena e Mécia de Sena tiveram nove filhos.

 

s320x240

 Jorge de Sena e Mécia F. Lopes

 

 Trabalhou incansavelmente, para sustentar a crescente família. Além do seu absorvente trabalho diurno na JAE (que lhe possibilitou viajar e conhecer o Portugal profundo), Sena também se dedicava à direção literária em editoras, à tradução e revisão de textos, ocupações que lhe roubavam precioso tempo para a investigação literária e a para a sua obra. A banalidade e a pequenez do quotidiano no Portugal de Salazar das décadas de 1940 e 1950 atormentam-no, bem assim como a mediocridade, a mesquinhez e a intriga dos meios literários, a opressão política, a censura literária, resultando num ambiente de trabalho sufocante e absolutamente frustrante, mas que não deixam de o inspirar para o poema É tarde, muito tarde na noite…

 

phpThumb_generated_thumbnailjpg-3

 Jorge de Sena fotografado por Fernando Lemos.

 

 

Durante esses anos publica várias obras: O Dogma da Trindade Poética – Rimbaud (1942), Coroa da Terra, poesia (1946), Páginas de Doutrina Estética de Fernando Pessoa (organização), 1946, Florbela Espanca (1947), Pedra Filosofal poesia (1950), A Poesia de Camões (1951), etc. Colabora na revista Mundo Literário (1946-1948) com contos e poesia e também como crítico artístico na rúbrica cinema.

 

A sua situação como escritor e cidadão tornou-se insustentável. Como escritor, não tinha tempo livre para escrever, apenas o podia fazer de modo insuficiente e limitado à noite e aos domingos. Também o facto de não pertencer a nenhum círculo académico e a falta de apoio institucional frustrava-lhe qualquer pretensão de poder vir a editar alguma obra mais ambiciosa. Por outro lado, a sua participação numa tentativa revolucionária abortada em 12 de Março de 1959, colocou-o em posição de prisão iminente, no caso muito provável de algum dos conspiradores presos pela PIDE denunciar os que ainda se encontravam livres.

 

Em Agosto de 1959, viajou até ao Brasil, convidado pela Universidade da Bahia e pelo Governo Brasileiro a participar no IV Colóquio Internacional de Estudos Luso-Brasileiros. Tendo sido convidado como catedrático contratado de Teoria da Literatura, em Assis, no Estado de São Paulo, aproveitou essa oportunidade e aceitou o lugar, iniciando assim o seu longo exílio. Ele faz amizade com o poeta Jaime Montestrela, que dedicou o seu livro Cidade de lama. Por motivos profissionais, teve de adotar a cidadania brasileira.

 

tumblr_nsdqu6XIkz1uykw6do1_1438392606_cover

 

 

Em 1961, Jorge de Sena foi ensinar Literatura Portuguesa na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Araraquara. Em 1964, depois de vencer alguns preconceitos académicos pelo facto de ser licenciado em Engenharia, Jorge de Sena defendeu a sua tese de doutoramento em Letras (Os Sonetos de Camões e o Soneto Quinhentista Peninsular), tendo obtido os títulos académicos "com distinção e louvor".

 

O período de seis anos que passou no Brasil foi muito produtivo. Finalmente, tinha toda a disponibilidade para se dedicar à sua obra com a devida profundidade e profissionalismo. Poesia, teatro, ficção, ensaísmo e investigação. Parte do romance Sinais de Fogo e a totalidade dos contos Novas Andanças do Demónio foram escritos neste período.

 

jorgedesena

 

 

A degradação da situação política no Brasil, com a instalação de uma ditadura militar a partir de Março de 1964, fez com que Jorge de Sena, mais do que nunca avesso a prepotências, aceitasse um convite para ensinar Literatura de Língua Portuguesa na Universidade de Wisconsin, para partir para os Estados Unidos em Outubro de 1965. Em 1967 foi nomeado catedrático do Departamento de Espanhol e Português da referida universidade.

 

De 1970 até 1978 foi catedrático efetivo de Literatura Comparada na Universidade da Califórnia, em Santa Barbara. Apesar da satisfação de ensinar e da amizade que os alunos lhe dedicavam, Sena não foi feliz. Queixava-se da "medonha solidão intelectual da América" onde não havia "convívio intelectual algum" e da esterilidade e espírito burguês do meio académico, que não se interessava pela sua obra.

 

oscar-lopes_sena_eugenio

 Jorge de Sena ladeado por Óscar Lopes (esq.) e Eugénio de Andrade (dta).

 

 

Quando se deu o 25 de Abril, Jorge de Sena desejou regressar definitivamente a Portugal, ansioso por dar a sua colaboração para a construção da democracia. Sena visitou Portugal, contudo, nenhuma universidade ou instituição cultural portuguesa se dignou convidar o escritor para qualquer cargo que fosse, facto que muito o desiludiu e amargurou, decidindo continuar a viver nos Estados Unidos da América, onde tinha a sua carreira estabelecida.

 

Jorge de Sena morreu em 4 de Junho de 1978, aos 58 anos, de cancro.

 

In Wikipédia

 

publicado por Equipa BE às 23:05
Sexta-feira, 01 / 07 / 16

Grandes Livros: "Sinais de Fogo", de Jorge de Sena

"Sinais de Fogo", de Jorge de Sena

 

 

 

O décimo primeiro episódio da Série "Grandes Livros", da RTP2 é "Sinais de Fogo", de Jorge de Sena, autor em destaque na BE este mês. A realização deste documentário é de João Osório, com guião de Alexandre Borges, coordenação de conteúdos de Nuno Estêvão, narração de Diogo Infante. Série televisiva produzida pela Companhia das Ideias, em 2009. 

 

 

 

publicado por Equipa BE às 09:42
Sexta-feira, 01 / 07 / 16

"Ode para o Futuro", Jorge de Sena

jorge-de-sena3

    Jorge de Sena

   (2 Nov 1919 // 4 Jun 1978

    Poeta/Crítico/Ensaísta/Ficcionista)

 

 

Ode para o Futuro

 

Falareis de nós como de um sonho.
Crepúsculo dourado. Frases calmas.
Gestos vagarosos. Música suave.
Pensamento arguto. Subtis sorrisos.
Paisagens deslizando na distância.
Éramos livres. Falávamos, sabíamos,
e amávamos serena e docemente.

Uma angústia delida, melancólica,
sobre ela sonhareis.

E as tempestades, as desordens, gritos,
violência, escárnio, confusão odienta,
primaveras morrendo ignoradas
nas encostas vizinhas, as prisões,
as mortes, o amor vendido,
as lágrimas e as lutas,
o desespero da vida que nos roubam
- apenas uma angústia melancólica,
sobre a qual sonhareis a idade de oiro.

E, em segredo, saudosos, enlevados,
falareis de nós - de nós! - como de um sonho.

Jorge de Sena, in 'Pedra Filosofal'

publicado por Equipa BE às 09:10
Sexta-feira, 24 / 06 / 16

"Cheap thrills", Sia

Sia - "Cheap thrills":

 

 

 

publicado por Equipa BE às 15:29
Sexta-feira, 24 / 06 / 16

Boas férias de verão!

boas-férias-304x198

 

A Equipa da Biblioteca Escolar agradece a todos os que participaram nas diversas atividades dinamizadas durante o ano letivo e deseja a todos os alunos do Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto umas boas férias bem merecidas.

 

A Equipa da Biblioteca Escolar aproveita para relembrar que:

 

Durante o período de férias, o horário da Biblioteca Escolar é: abertura às 9:00h; encerramento para a hora de almoço das 13:00h às 14:00hreabertura às 14:00 e encerramento às 17:00h.

 

Toda a comunidade escolar, assim como local, à semelhança de anos anteriores, poderá frequentá-la e requisitar livros para casa, durante o período de férias.

 

673666_orig

 

 

Todos os utilizadores da Biblioteca Escolar poderão fazer pesquisas no Catálogo Bibliográfico da BE em linha, comodamente a partir de casa, através do blogue da BE (clicar na hiperligação "Catálogo Bibliográfico da BE", no lado direito do blogue) ou da página do Agrupamento de Escolas (clicar na hiperligação "Catálogo Bibliográfico da BE", no lado esquerdo da página).

 Kcnoyoy6i

Boas Férias e boas leituras! 

 

 

 

publicado por Equipa BE às 14:44
Segunda-feira, 20 / 06 / 16

"Where ever I go", One Republic

One Republic — "Where ever I go":

 

 

 

publicado por Equipa BE às 10:32
Segunda-feira, 20 / 06 / 16

Dia Nacional do Relógio Solar

Dia Nacional do Relógio Solar

 

sun-clock-4dd93adde8cb0_hires

 

 

O Dia do Relógio do Sol observa-se a 20 de junho em 2016.

 

Este dia celebra-se por altura do solstício de verão desde 1990, sendo uma iniciativa portuguesa, do Instituto de Investigação, Estudo e Divulgação do Quadrante Solar.

Como funciona?

Um relógio de sol é um instrumento que serve para apurar a hora do dia, utilizando como referência a posição do sol. Os relógios de sol mais comuns são os relógios de jardim, construídos num desenho horizontal com linhas e uma haste, onde a sombra do sol é projetada pela haste, indicando as horas do dia nestas linhas.

 

Untitled-5

 

Acredita-se que quem inventou o relógio de sol foram os egípcios, já que o mais antigo relógio de sol é egípcio, datado de 1500 a.C.

Como construir?

A haste (ponteiro ou gnômon) deve ser posicionada paralelamente ao eixo de rotação da Terra, sendo necessário encontrar o norte magnético com uma bússola.


Deve-se proceder à fixação da haste no mostrador, orientada em sentido norte-sul, inclinada relativamente ao plano horizontal tal como a latitude do local. De seguida, marcar as linhas das horas com a ajuda de um relógio normal.

 

In Calendarr.Portugal

 

publicado por Equipa BE às 10:26
Segunda-feira, 20 / 06 / 16

"Can't stop the feeling", Justin Timberlake

Justin Timberlake - "Can't stop the feeling":

 

 

 

publicado por Equipa BE às 10:23
Segunda-feira, 20 / 06 / 16

Será o solstício de verão o dia mais feliz do ano?

Será o solstício de verão

o dia mais feliz do ano?

 

naom_5720f51b528ed

 

O solstício de verão inicia-se hoje às 23h34min. Mas hoje, o dia mais longo do ano no hemisfério norte, o sol nasceu às 06h12min e só se irá pôr às 21h05min.

 

Mas será o verão a estação do ano que traz mais alegria? E é hoje o dia mais feliz do ano?

 

De acordo com Philip Gehrman, diretor do Behavioral Sleep Medicine Program da Universidade de Pensilvânia, de modo geral, as pessoas ficam mais felizes no verão e, por isso, as horas extra de luz solar que o dia de hoje traz, e que se estendem para um verão 93,66 dias, até à chegada do Equinócio do Outono, às 15h16 de dia 22 de setembro, podem, de facto, trazer felicidade.

 

A luz é a sugestão mais forte para regular o ritmo circadiano -  que inclui o ciclo do sono, as flutuações hormonais e a temperatura corporal e segue um padrão de aproximadamente 24 horas - e é capaz de ajudar a dormir e a acordar mais facilmente.

 

Quem, esta manhã, saiu de casa cedo percebeu que havia na rua uma luminosidade fora do normal. Pois bem, além de ser o dia mais longo do ano, esta segunda-feira contou com lua cheia.

 

Segundo o Daily Mail, hoje é a primeira vez desde 1967 em que o solstício de verão coincide com uma lua cheia. Esta coincidência faz com que os mais supersticiosos acreditem estar perante um dia com um significado especial.

 

No Reino Unido, mais precisamente em Wiltshire, é normal o dia mais longo do ano ficar marcado pela concentração de milhares de pessoas junto a Stonehenge.

 

summer-solstice-sunrise-at-the-stonehenge

 Solstício de verão em Stonehenge, Wiltshire, Inglaterra.

 

 

Diz a História que as pedras que compõe aquela construção estão alinhadas tendo em conta o nascer do sol a data dos solstícios de verão e inverno. No dia 21 de junho, o Sol nasce em perfeita exatidão sob a pedra principal.

 

taller-15-6-728

 Solstício de verão em Stonehenge.

 

 

A partir de hoje, os dias começarão a ficar mais curtos no hemisfério Norte do planeta Terra.

 

In Notícias ao Minuto1 Notícias ao Minuto2  

 

publicado por Equipa BE às 10:09

Setembro 2016

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30

arquivo

arquivo mensal

2016:

 J F M A M J J A S O N D

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

be no facebook

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

Inquérito